Portugal: Grutas de Mira D’Aire e Castelo de Almourol

Sem tempo para grandes viagens, focados entre emprego e universidade, decidimos passar um sábado diferente descobrindo o encanto da nossa região. Por vezes esquecida por nós que sonhamos e ambicionamos conhecer outras regiões do nosso país e do mundo sem conhecermos devidamente aquilo que nos é próximo. O Ribatejo e toda a zona centro de Portugal é rica em património cultural e paisagístico havendo muito para descobrir e conhecer, sempre com a tranquilidade característica da região. Organizamos assim um dia para desanuviar do stress diário, com o melhor que a nossa região oferece, planeando visitar a Serra de Aire e Candeeiros e as suas Grutas de Mira D’Aire e finalizar o dia com fantástico pôr-do-sol no Castelo de Almourol, bem romântico por sinal.

 Castelo de Almourol: ponto de partida castelo de almourol

Castelo de Almourol

Castelo de Almourol: perspetiva castelo almourol

Castelo de Almourol

Sem pressas, porque o fim-de-semana também serve para repor as energias gastas da semana, iniciamos o nosso percurso mais tarde do que o devido, mas a preguiça é um dos nossos pecados capitais. O plano matinal era visitar as Grutas de Mira D’Aire e assim o fizemos, iniciamos o percurso pouco depois das 11h e durou cerca de 1h, entre subidas e descidas na gruta despendemos energia suficiente para abrir o apetite ao almoço que se avizinhava. Em relação às grutas, já sabemos que a mãe natureza nos surpreende com o seu encanto no exterior da terra, mas parece que no interior não se fica aquém. Várias salas e lagos com muita, muita cor criam uma experiência visual inesquecível, num património natural milenar e recentemente eleito uma das 7 maravilhas naturais do nosso país.

Castelo de Almourol: interior das grutas

Interior das Grutas de Mira D’Aire

Castelo de Almourol: interior grutas

Interior das Grutas de Mira D’Aire

Com o Tripadvisor como ajuda que não dispensamos na hora de escolher o restaurante, escolhemos o Lanterna do Fado. Em Portugal a gastronomia é ótima quase em todos os lugares, mas aqui comeu-se especialmente bem. As bochechas de bói assadas no forno eram muito saborosas e tenras que se conseguiam cortar apenas com uma colher, além da refeição é de realçar toda a decoração rústica que não nos faz esquecer das características regionais.

Castelo de Almourol: restaurante lanterna do fado

Restaurante Lanterna do Fado

Castelo de Almourol: bochechas borrego

Bochechas de bói

Castelo de Almourol: almoço

Almoço no Restaurante Lanterna do Fado

Já a tarde ia longa quando começamos a dirigir-nos à nossa localidade, mas não sem antes admirar a beleza natural do Tejo e do castelo que beija as suas águas, o Castelo de Almourol. Embora já o tivéssemos visitado anteriormente, é um local que pela proximidade gostamos sempre de voltar a visitar. Perdido no meio do rio em tempos, hoje em dia o caudal já não é suficiente para confirmar esta afirmação, uma vez que com a ajuda de umas pedras conseguimos atravessar o rio até ao pequeno ilhéu onde se encontra o castelo. A fusão entre a Natureza e a Arquitetura em local inusitado, demonstram que o Homem é capaz de trabalhar em parceria com a Natureza sem que nenhum fique prejudicado.

Castelo de Almourol: fotografia castelo

Perspetiva Castelo de Almourol

Castelo de Almourol: castelo de almourol

Castelo de Almourol

Um sábado ameno em pleno mês de Janeiro merecia que puséssemos os pés fora de casa e aproveitássemos esse bom dia da melhor maneira possível. Maravilhas naturais, arquitetónicas e gastronómicas sem termos de nos deslocar quilómetros para as visitar é uma das dádivas da nossa região e do nosso país que por onde quer que viajemos encontramos sempre locais memoráveis.

Castelo de Almourol: vista castelo

Castelo de Almourol

Achaste este guia útil? Esperamos que sim!
Segue-nos no Facebook e Instagram para ficares a saber quais serão os próximos destinos 🙂

Share: